Tagged: Bento XVI

Há qualquer coisa que não está a funcionar no jornalismo

Papa Francisco dá uma conferência de imprensa na viagem de regresso da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, Brasil.
Papa Francisco dá uma conferência de imprensa na viagem de regresso da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, Brasil.

Publicado no Suplemento Igreja Viva (30/06/2016) do Diário do Minho

Uma viagem papal é sempre um acontecimento mediático. Aguarda-se com expectativa a recepção ao papa, os encontros ao mais alto nível, os discursos, as suas posições relativamente a matérias controversas e/ou polémicas, os gestos, enfim, tudo é seguido, escalpelizado ao pormenor pelas principais agências de notícias internacionais e jornalistas de todo o mundo. Com Francisco elas ganharam um novo motivo de interesse: as conferências de imprensa sempre realizadas no voo de regresso a Roma. E por vários motivos. O primeiro deles é que se trata de uma verdadeira conferência de imprensa, não uma simulação. Ou seja, os jornalistas podem colocar livremente as questões, sem que estas sejam selecionadas previamente pelo director da sala de imprensa e/ou seus assessores. Depois, porque o papa não se escusa a responder a nenhuma pergunta, mesmo as mais incómodas. Tudo acontece em directo, em primeira mão, de uma forma livre e espontânea. Continue reading

Mulheres Igreja Mundo

 

Captura de ecrã 2016-05-12, às 18.07.31
© Giulia D’Anna Lupo | Le Monde 28 de Outubro de 2015

Publicado no Suplemento Igreja Viva (12/05/2016) do Diário do Minho

Trinómio tão denso e complexo na sua articulação quanto sugestivo dá título (Donne Chiesa Mondo) ao suplemento mensal, pensado e feito no feminino, do L’Osservatore Romano, o jornal diário político-religioso oficioso (não oficial) da Santa Sé. Continue reading

Pedofilia, Clericalismo e responsabilidades

resignaçãoA história encarregar-se-á de render a devida homenagem àquele que será conhecido como um dos maiores mestres e pontífices do séc. XXI. Refiro-me ao Papa Emérito Bento XVI. E, ao contrário do que é comummente dito e assumido, o combate contra a pedofilia na Igreja tem a sua marca, senão mesmo um pioneiro. Neste particular, creio mesmo que Bento XVI conjugou magistral e prudencialmente firmeza, descrição, justiça e misericórdia.

Ao longo do seu pontificado, apenas 8 anos (2005-2013) o papa alemão demitiu 80 bispos com responsabilidades nos casos de pedofilia. Como afirmou em 2013 D. José Aparecido Gonçalves de Almeida, actual bispo auxiliar de Brasília, mas na altura das declarações à Renascença sub-secretário do Conselho Pontifício para os Textos legislativos, Bento XVI iniciou uma “limpeza com dados concretos”. “Não creio que haja na história da Igreja um Papa que tenha demitido 80 bispos que foram negligentes no governo destes casos”, declarou. Continue reading