GeoConfess, a Uber da confissão

66bc6df25976b9ad946a576fd825a4f94f384e64
Com GeoConfess encontre rapidamente uma confissão perto de si

“Primeiro estranha-se, depois entranha-se”. O slogan do primeiro anúncio da Coca-Cola em Portugal (1928), criado por Fernando Pessoa (ainda que por razões políticas tenha ficado apenas no papel), bem que se poderia aplicar às aplicações para telemóvel e/ou tablet destinadas à eclesiosfera.

Já ninguém estranha entrar numa igreja e ver um leigo ou sacerdote a rezar com o telemóvel ou o tablet a liturgia das horas. O iBreviary, a única aplicação com o breviário em português, simplificou e aligeirou a vida de quem diariamente faz da oração da Igreja a sua oração diária. Ainda há pouco mais de uma semana, o Vaticano assumiu o Click to Pray, aplicação móvel (criada em Portugal) com propostas de orações breves e simples, para três momentos do dia, como a plataforma digital da Rede Mundial de Oração pelo Papa e do Apostolado da Oração. A partir do próximo sábado (19 de Março), o papa Francisco estará presente na rede social Instagram. O mesmo papa que na mensagem para a 48ª Jornada Mundial das Comunicações sociais (2014) exortava assim os fiéis: “Não tenhais medo de vos fazerdes cidadãos do ambiente digital. (…) uma Igreja companheira de estrada sabe pôr-se a caminho com todos. Neste contexto, a revolução nos meios de comunicação e de informação são um grande e apaixonante desafio que requer energias frescas e uma imaginação nova para transmitir aos outros a beleza de Deus”.

Movido por este apelo de Francisco e a pensar no sacramento da reconciliação em pleno ano da misericórdia, Tanguy Levesque, um católico francês de 40 anos e pai de seis filhos, criou uma aplicação verdadeiramente disruptiva: a GeoConfess. Uma aplicação que liga “os confessores com falta de penitentes, com os penitentes com falta de confessores”, assim se lê página da internet da plataforma. O funcionamento é simples. O sacerdote inscreve-se na plataforma indicando o local onde se encontra, os dias e horários em que está disponível para confessar. Informações que podem ser alteradas dependendo da deslocação e disponibilidade do confessor.

Por sua vez, o penitente, em tempo real e graças ao sistema de geolocalização, presente em todos smartphones, pode aceder ao confessor mais próximo de si e através de um clique avisar o sacerdote da sua chegada. Daí o slogan “GeoConfess, a Uber da confissão”.

Claro que a aplicação suscita várias interrogações. Desde logo, se há assim tanta gente à procura de confessor sem encontrar e que leve à necessidade de criar uma aplicação específica. Tanguy Levesque diz que nas cidades é mais fácil encontrar um confessor do que nas aldeias. Aliás, foi essa dificuldade que ele próprio sentiu que o levou a criar a aplicação. É certo que ele fala da realidade francesa, depauperada de clero. Mas não é descabido que examinemos a realidade bracarense e nos questionemos: Há nas paróquias horários regulares reservados à confissão? Essa informação está disponível nas igrejas e nos boletins paroquiais?

Outras questões, não menos importantes, são se não estamos perante uma privatização da fé. Ou se não está a promover, ainda que inconscientemente, uma visão da Igreja e em particular dos sacerdotes, como fornecedores de serviços. A dimensão comunitária é fundamental para fé. Aliás, não se compreende nem se vive sem essa. Estas são apenas algumas das questões que merecem ser seriamente reflectidas.

No entanto e como diz o poeta, a experiência diz-nos que “primeiro estranha-se, depois entranha-se”.

PartilharShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on LinkedIn1Pin on Pinterest1Email this to someonePrint this page

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>