Category: Uncategorized

Editorial para uma Igreja sempre viva

Redacção do Igreja Viva. D Esquerda para a direita: Ana Pinheiro, Tiago Freitas, Paulo Terroso, Filipa Correia e Flávia Barbosa
Redacção do Igreja Viva. Da Esquerda para a direita: Ana Pinheiro, Tiago Freitas, Paulo Terroso, Filipa Correia e Flávia Barbosa

Publicado no Suplemento Igreja Viva (01/09/2017) do Diário do Minho

O Igreja Viva, tal como hoje o conhecemos, ou seja desde que o pe. Tiago Freitas assumiu a direcção do Departamento das Comunicações Socais da Arquidiocese e a edição do suplemento (2014), terá tido a sua origem numa sala do primeiro andar do Seminário de N. Srª da Conceição. Na altura, estávamos no ano 2009 e preparávamos a Semana dos Seminários. Enquanto discutíamos e projectávamos um suplemento especial, no meio de uma catadupa de sugestões, nasceram o entusiasmo e questões, muitas questões às quais procurávamos dar resposta, e uma visão de um futuro que não sabíamos quando seria presente, mas que sabíamos que era possível. Claro que não desenhámos o Igreja Viva ali. Mas cada edição do Igreja Viva que lhe chega às mãos, e até mesmo o projecto de comunicação da arquidiocese, têm nesse momento o seu núcleo germinal e um nome: entusiasmo. Continue reading

Bose: onde a utopia da unidade dos cristãos é um lugar

Captura de ecrã 2016-01-20, às 19.00.37
Enzo Bianchi, priore da Comunidade Monástica de Bose e Sua Santidade Bartolomeu, Arcebispo de Constantinopla e Patriarca Ecuménico. © foto Monastero di Bose

Quando se aborda a questão da unidade dos cristãos Enzo Bianchi é uma das personagens incontornáveis do mundo católico. Uma referência. Não por acaso o papa Francisco nomeou-o consultor do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Continue reading

Dez livros para as férias

ferias-e-livros-1080x400Mas não necessariamente para serem todos lidos em férias. Uma proposta para quem não dispensa um bom livro no momento do ano em que se tem mais tempo livre para meter a leitura em dia. Os livros são apresentados segundo a ordem alfabética do nome do autor.

Se deseja comprar o livro basta clicar no título para ser redireccionado para uma livraria online.

Alessandro ManzoniOs Noivos, Lisboa: Paulinas Editora, 2015. Não podia faltar na lista um clássico. O romance I promessi sposi (Os Noivos) de Manzoni, depois da Divina Comédia de Dante, é o maior clássico da literatura italiana. A tradução portuguesa de José Colaço Barreiros é um dos acontecimentos editoriais do ano.

Austein IvereighFrancisco o grande reformador. Os caminhos de um Papa radical, Amadora: Editora Vogais, 2015. Escreve a vaticanista Aura Miguel no prefácio: “Em jeito de comparação automobilística, arrisco-me a dizer que esta obra está para os outros livros sobre Francisco como a construção de um Rolls-Royce está para a de um carro utilitário”. Está tudo dito! Continue reading

Laudato si’, o acto número um para uma nova civilização

edgar_morinEmbora se use em demasia, a expressão “não deixa ninguém indiferente” é acertada para aplicar a Laudato Si’. A carta encíclica do Papa Francisco Sobre o cuidado da casa comum não só não suscita indiferença, como se tem mostrado capaz de mobilizar a adjectivação mais veemente dos que teriam preferido que ela não tivesse sido escrita ou dos que a aplaudem sem reservas.

O Papa Francisco é “a pessoa mais perigosa do planeta”, disse Greg Gutfeld, comentador da Fox News, uma conhecida cadeia de televisão dos Estados Unidos da América. Poderá tratar-se apenas de uma frase de efeito, um daqueles sound bites que servem para alguém se fazer notar, mas é portadora de um incontornável valor sintomático. Será muito pouco menos do que isso o que uns quantos pensarão sem coragem para o afirmarem em voz alta. Continue reading

Encíclica Laudato Si ou a parábola de Lázaro e o homem rico

É necessário recuar a 25 de Julho de 1968, data em que foi publicada a encíclica sobre a regulação da natalidade, Humanae Vitae, escrita por Paulo VI, para se encontrar tanta expectativa, polémica e contestação em torno de um documento papal. A encíclica ecológica Laudato Si (Louvado sejas) do Papa Francisco, publicada hoje, entrará para a história como sendo a primeira a ser duramente criticada antes mesmo de o texto ser conhecido.

Continue reading

Do TripAdvisor ao ChurchAdvisor? (II)

One parish adReflectir o uso da internet e das redes sociais sob o ponto de vista moral do bom ou mau uso tem tanto de simplista quanto redutor. O mesmo se pode dizer sobre a visão da rede como um mundo paralelo à realidade, como se milhões de pessoas que usam as redes sociais vivessem numa esquizofrenia permanente de uma vida dupla entre a vida real e a vida na rede.
Já Bento XVI, na 47ª mensagem para o Dia Mundial para as Comunicações Sociais, dizia que a rede é um espaço existencial, sobretudo para os mais jovens, que configura e determina a percepção da realidade e dá forma a novas dinâmicas de comunicação. Não se trata, portanto, de desconsiderar a dimensão ética mas de superá-la e colocá-la como um item de um discurso bem mais alargado. Continue reading

Serve uma Onu das Religiões?


World News Videos | US News Videos

A ideia de criar uma ONU das Religiões foi apresentada, nos inícios de Setembro do ano passado, pelo ex-presidente de Israel Shimon Peres ao Papa Francisco. Uma proposta não propriamente nova. Meses antes, o ex-primeiro ministro espanhol José Luis Zapatero, num colóquio sobre o papel do diálogo inter-religioso na promoção da paz, defendia “uma aliança permanente entre as confissões religiosas”, vinculada à ONU e à Aliança das Civilizações, para criar “uma autoridade religiosa global”. Todavia, Shimon Peres ia mais longe na sua proposta, ao querer substituir a ONU — para Peres a ONU que conhecemos já não funciona — por uma Organização das Religiões Unidas. A sua proposta contemplava a existência de uma Carta das Religiões Unidas, à semelhança da Carta das Nações Unidas. “Uma nova Carta serviria para estabelecer, em nome de todas as religiões, que chacinar pessoas, ou cometer assassinatos em massa, (…) não tem nada a ver com a religião”. Para Peres, este “seria o melhor modo de contrastar com os terroristas que matam em nome da fé”. Continue reading

Pobres de todo o mundo, uni-vos!

papa-movimenti-popolari

O título é sensacionalista? Não. É realista. Bem sei que estou a glosar o famoso slogan político — “Proletários de todo o mundo, uni-vos!” — do Manifesto Comunista de Karl Marx e Friedrich Engels. No entanto, “Pobres de todo o mundo, uni-vos!” bem poderia ser a exortação-síntese do discurso do Papa Francisco na audiência aos participantes do Encontro Mundial dos Movimentos Populares. Encontro promovido pelo Pontifício Conselho “Justiça e Paz”, com a colaboração da Pontifícia Academia das Ciência Sociais e dos dirigentes de vários Movimentos. O encontro no Vaticano teve início no dia 27 de Outubro e terminou ontem, quarta-feira.

Perante mais de duzentos participantes, o Papa Francisco proferiu, em espanhol, um dos discursos mais longos, mais assertivos e acutilantes contra “a globalização da indiferença”, depois da Evangelii Gaudium (EG). A agência norte-americana Associated Press refere-se ao discurso como uma “mini-encíclica sobre o direitos dos pobres, as injustiças, o desemprego e da necessidade da protecção ambiental”. Continue reading

O Apelo de Paris

“Os signatários de L’Appel de Paris (O Apelo de Paris) encontraram-se num momento particular da história da humanidade, em que o mundo assiste à irrupção inigualável do extremismo e da violência no Médio-Oriente, instrumentalizando o Islão como bandeira”. Assim inicia a declaração solene assi- nada no passado dia 9 de Setembro, na Grande Mesquita de Paris, pelas mais representativas instituições muçulmanas francesas. Continue reading